COMUNICADO

Oi gente!

É provável que vcs notem que em alguns posts do blog há fotos que não aparecem ou não abrem ampliadas em outra janela. Nós tivemos problemas com a hospedagem dessas imagens, por isso algumas foram perdidas.
Já estamos trabalhando a fim de recuperá-las (temos backup, ainda bem!). O processo levará algum tempo, mas vai dar tudo certo.
Agradecemos pelo apoio recebido até o momento, e contamos com a compreensão de vcs. <3

sábado, 30 de janeiro de 2010

Série Pincéis: Introdução

 

prod_1045088 

Pincéis… complicado.

Em qualquer produto é assim: a gente sempre chega à conclusão que maquiagem é pessoal demais, e que o que funciona super bem pra umas, não funciona bem pra outras. Por isso eu acho importante, além de ler uma resenha, ficar atenta à pessoa que está escrevendo.

Porque com o tempo a gente acaba percebendo que pessoas têm pele parecida com a nossa, e principalmente que têm gostos e preferências parecidos com os nossos, quanto a tipos de produtos, cores, etc.

Estou comentando isso pela dificuldade que é escolher pincéis. Pra começar, vamos falar o básico, né? Pincéis importados são os que a gente sabe que são muito melhores. E a variedade? Imensa!

É difícil comprar porque a gente não consegue, vendo fotos, imaginar como o pincel é de fato, e um simples detalhezinho na forma, consistência, tamanho, pode fazer toda a diferença no resultado e a gente acabar com um pincel que não gosta, no fim das contas, mesmo que ele seja de super boa qualidade.

Problema: quase todos os pincéis ‘perfeitos’ são caros. E importar esses pincéis não é caro; é caríssimo! Não dá pra gente ficar experimentando muito, assim no risco.

Mesmo assim, às vezes a gente compra e não funciona… Por isso, vou tentar detalhar ao máximo aqui, porque é desse tipo de resenha que eu vou atrás quando compro pincéis.

Vou falar dos de base, porque são os que eu persigo e compro. Outros podem aplicar com mais facilidade, tipo pincel de pó, mas não acho que faz tanta diferença no resultado se o pincel é maravilhoso ou só competente. No caso da base, faz, e muita. Pra mim, pelo menos, é fundamental. Se a maquiagem da pele não fica ótima, o resto tá perdido. Outra coisa é que, no meu caso, muitas vezes eu não faço muito mais que isso: base.

(Mentira. Eu não saio de casa sem corrigir minhas sobrancelhas, mas esse é outro capítulo. Outro post…)

Tá, vamos ao que interessa. Já contei que pincel de base chato não é minha praia. Engraçado, só vi uma pessoa falar isso, no youtube, não lembro quem foi, que simplesmente não gosta desse tipo de pincel. Eu acho que o resultado desses pincéis achatados deixa muito a desejar. Pode até ser bom pra alcançar cantos, ou pra aplicar geral, assim, e depois dar acabamento com outro pincel. Sei lá…

Não sei se isso é porque eu tenho nóia desse negócio de poros aparecendo, mas fico maluca com isso. Quando a gente aplica a base e ela mostra os relevos (altos e baixos) da pele.

Pensa o seguinte: já viram como se pinta parede? Se a parede não é perfeitamente lisinha, as imperfeições da superfície, quando se coloca a tinta, ficam mais aparentes ainda do que antes.

Agora imaginem o seguinte: o pintor pode corrigir a superfície, ou usar um pincel adequado pra pintar superfícies irregulares. Já viram brocha de pintar parede?

 

broxa1

Bom, pra regularizar a superfície, existem os primers. A idéia é que eles façam uma camada fina que deixa a pele sem essas irregularidades, ou minimiza bastante. Equivalente ao que um pintor de paredes faria usando uma massa corrida, por exemplo.

Só que… Não sei quanto a vocês, mas primer, pra mim, não faz a menor diferença pra isso. Tá, exagerei, ajuda assim uns 10%, mas na boa, não chega nem perto de sumir com as irregularidades da pele. Gosto deles porque ajudam a fixar, e tal, mas pra fazer o papel de sumir com relevos da pele, não funciona assim como deveria.

Então a solução é usar o outro recurso: um pincel que funcione como a broxa funciona pro pintor de paredes: não deixa o produto acumular nos relevos altos, e alcança os relevos baixos sem depositar produto em excesso nesses ‘buraquinhos’, o que deixa tudo pior do que estava antes, né?

Acho que deu pra entender minha analogia?

aa157-300x225

 

É por isso que os aplicadores tipo ‘airbrush’, daqueles com compressor, funcionam lindamente, dizem. Mas eu não chegaria a ponto de comprar um desses, a menos que eu fosse profissional.

Então, o que eu sempre uso são pincéis com as seguintes características:

1. Que tenham firmeza suficiente pra alcançar as profundezas dos poros. Geralmente pincéis muito moles não conseguem isso. Portanto, cerdas muito macias E esparsas, longas, não conseguem alcançar o que devem. É por isso que eu não gosto muito do 187 pra aplicar base, a menos que ela seja muito líquida. E mesmo assim, eu consigo o mesmo resultado com um pincel mais curto e denso, por isso não vejo utilidade nenhuma nesse pincel pra aplicar bases. (amo esse pincel pra outras coisas, mas vamos grudar nesse assunto aqui, por enquanto rs)

2. Que sejam macios o suficiente pra poderem ser usados com pressão na pele sem arranhar. Tem que ser muito macio pra fazer isso!

3. Que sejam de preferência sintéticos, porque usando do jeito que eu uso, um pincel de cerdas naturais às vezes acaba removendo produto demais, onde eu só quero que ele distribua, sem retirar.

4. Que tenha a densidade ideal pra espalhar direito, tirando de onde eu quero menos, e concentrando onde eu quero mais, sem no entanto “varrer” o produto de um lugar pra outro.

Explicadinho assim, penso que essa é a parte mais importante: quando leio resenhas, fico atenta pra ver se a pessoa que resenhou comenta sobre essas características, e se ela também se preocupa com os mesmos detalhes que eu. Cada um tem um foco, e eu procuro ir atrás de ferramentas que são escolhidas por pessoas que enfatizam as mesmas características que eu busco.

Esse era pra ser um post sobre os meus pincéis, mas achei fundamental explicar tudo isso. Provavelmente é mais útil do que mostrar o que eu tenho, porque quando vocês forem comprar, podem escolher melhor, de acordo com o que vocês precisam.

Já deixei bem explicado, também, o que eu busco nos pincéis de base, mas como já escrevi demais, vou mostrar os pincéis em outros posts, tipo uma “série pincéis”, que nem a gente tem a “série corretivos”.

Que tal? :)

O primeiro vem logo, prometo.

14 comentários:

Karen Lommez disse... [Responder comentário]

Renata, eu odeio pincel chato para base, parece que risca a cara toda!! Uso o duofiber para qualquer base e até para pó e fica perfeito. Tudo isso é superpessoal mesmo! bjk

Carol disse... [Responder comentário]
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol Montai disse... [Responder comentário]

Rê também sofri muito tentando aplicar base com pincel chato e desisti...tenho espalhado pequenas quantidades em pontos do rosto, espalhado com a esponja e depois ajeito com o pincel chato ou com o duo fiber...pra mim é assim que funciona :)
Aguardo o segundo capítulo rsrs
Beijooos! E um ótimo fim de semana!

Márcia Alves disse... [Responder comentário]

Bom, eu sou afccionada por pincéis, admito, são meu fraco. Gosto mais de pincéis do que de batom! Eu gosto desse pincel chato de base, mas tb nunca usei esses densos que vc gosta, mas já encomendei meu lucius blush, enquanto o philosophy está fora de minhas posses... Snif, snif...

Re, achei um video de resenha sobre o Sigma SS197, não sei se vc já viu: http://www.youtube.com/watch?v=ogw2MLU6ICI

Entendo quase nada de inglês, mas consegui entender que a garota adorou esse pincel justamente por ser denso e de cerdas mais curtas. E uma menina nos comentários diz que a Sonia Kashuk tem um pincel semelhante a esse (aquele que a gente não acha pra comprar em lugar nenhum que entregue aqui). Se vc vir o video, me diz, por favor, se vc acha que o resultado dela aplicando o pincel na pele é igual ao resultado que vc tem com o philosophy.

Bjbjbj!!

lumareth disse... [Responder comentário]

Re, vc como sempre, muito detalhista, coisa que faz toda diferença em seus posts!!! Parabéns.

Vou adorar esta série sobre pincéis, eles são o meu ponto fraco, para não dizer, fraquíssimo.

Bjs

Bianca disse... [Responder comentário]

Legal o post, eu achava que todo mundo passava base com pincel clássico de base, mas o que você disse tem muita lógica , essa coisa toda de relevos e tals...

Sim, série de pincéis é tudo de bom!!!!!

Beijos

Dáfni disse... [Responder comentário]

Rê,

Eu não sou tão detalhista como vc, mas aprecio esta sua qualidade, porque dá uma segurança muito grande ao pensar em comprar algo que sugeriu!

Eu não me dou bem com pincel chato e base líquida: fico com umas listras no rosto, horrível! Mas para passar base/pó (como a Studio Fix) eu gostei bastante, deu bem certinho!

Vou ficar esperando estes posts de pincéis, porque ultimamente ando obcecada por eles!

Beijos

P.S.: puxa, se o bazar desapego for presencial, eu não vou poder ir... snif...

Ana disse... [Responder comentário]

Quero muito um pincel de base... não quero mais sujar as mãos para passar base....
Aguardo ansiosa os próximos capítulos... vou esperar vc dar a dica só depois compro...

Milena SJCampos disse... [Responder comentário]

Adorei o post! Adorei a idéia da "série pincel"!

Não gosto nem do pincél de base chato e nem do seu sósia pequenino para corretivo. Detesto as listinhas. E vou dizer, o duofiber pra mim é o pior de todos pra aplicar base líquida. Mas gosto destes pincéis pra aplicar pó, iluminador, ou blush cremoso. É gosto pessoal mesmo.

Post maravilhosamente detalhado.
Beijos

Anônimo disse... [Responder comentário]

Vou falar que eu não sei quase nada à respeito de maquiagens, e tudo mais... Porém eu sei que muitas pessoas procuram exatamente isso em um blog de maquiagens - RESENHAS.
Acho as resenhas de vocês maravilhosas, totalmente explicativas e de utilidade pública!

Eu não visito blogs de maquiagem para ler a menina falando sobre todas as cores de esmalte que ela tem - eu quero saber a textura, a durabilidade, se ele tem secagem rápida... Resenhas!!

As postagens de vocês são maravilhosas! Nem Pensem em abandonar esse blog, ok!? rs

Parabéns, e beijos!

Renata disse... [Responder comentário]

Karen, vou fazer resenha do duo fiber na série, explicando por que eu amo e odeio ele rs. Pra base não rola. Mas tem outras propriedades, que ele tem, que é o melhor!

Carol, nada disso funciona pra mim, inclusive odeio esponja. Também vai entrar na série, provavelmente rs Aí explico direito por que não funciona pra mim. ;) Mas tenho certeza de que se vc usar um pincel desses não volta aos outros. :D

Marcia, de novo obrigada. Seu comentário foi super bom, já mencionei no primeiro post da série.

Lu, Bianca, vou adorar fazer a 'série', também amo pincéis. A Mi também, então quando ela voltar vai provavelmente ter o que falar na 'série' também!

Ana, espera pra comprar quando a gente tiver resenhado pelo menos uns 4 ou 5. Aí vê o que te serve melhor. Se quiser comprar antes, pergunta pra gente, a gente pode antecipar a resenha de algum que estiver na sua mira, se a gente tiver.

Milena, resenharei o duo fiber e conto pra que eu uso. ;)

Anonimo, vc esqueceu de assinar! Mesmo assim, agradecemos os elogios. Sabe, acho que é exatamente quando a gente sabe pouco ou até muitas vezes nada sobre maquiagem que é importante detalhar. Obrigada mesmo!

bjs!

Milena disse... [Responder comentário]

Milena, eu também tenho horror do Duo Fiber para aplicar base líquida.

No entanto, acho ele legal pra pó, blushes pigmentados ou iluminador.

Milena disse... [Responder comentário]

/\

Vão achar que eu tô com crise de identidade, hahaha.

Renata disse... [Responder comentário]

Nem, eu também falo com a Renata direto aqui. kkk

Mi, esse pincel duo fiber, pra bronzer, é uma cousa!

Related Posts with Thumbnails