COMUNICADO

Oi gente!

É provável que vcs notem que em alguns posts do blog há fotos que não aparecem ou não abrem ampliadas em outra janela. Nós tivemos problemas com a hospedagem dessas imagens, por isso algumas foram perdidas.
Já estamos trabalhando a fim de recuperá-las (temos backup, ainda bem!). O processo levará algum tempo, mas vai dar tudo certo.
Agradecemos pelo apoio recebido até o momento, e contamos com a compreensão de vcs. <3

terça-feira, 11 de maio de 2010

Azarão

 

Quem é mais nova (de idade) por aqui, talvez não conheça essa expressão. Era usada algumas décadas atrás e se referia a um evento de “sorte”, acaso, alguma coisa muito improvável que acontecesse, “against all odds”. É aquele em que ninguém aposta, mas que ganhou e ninguém consegue explicar como ou por quê.

É o que, pra mim, expressa o que eu sinto cada vez que descubro algum produto brasileiro que presta. E eu sei que muita gente não vai gostar de ler esse post, estou ensaiando há meses e nunca escrevi, mas finalmente vou desembuchar.

Eu não gosto de maquiagem brasileira. Ponto.

Antes que vocês comecem a apedrejar nos comentários ou clicar no botãozinho de “unfollow”, vou explicar isso direito.

Falo isso num sentido bem amplo: “maquiagem brasileira”.

Pra começar, quantas marcas existem aqui no Brasil? Relevantes, quero dizer. Devem existir algumas dezenas de pequenas empresas de cosméticos com muita boa vontade e poucos recursos pra vencer num mercado absurdo como o brasileiro. E meia-dúzia de empresas relativamente “grandes” que abarcam todo o mercado consumidor de produtos cosméticos fabricados no Brasil – quais sejam, Natura, O Boticário, Contém 1g, Vult, Tracta. Não fiz nenhuma pesquisa pra conferir essas informações, mas acredito que no mercado de maquiagem no Brasil sejam predominantes essas marcas.

Entre essas, por aí no meio perdidas, alguma marca com muita boa vontade e pouco poder de fogo, como Celso Kamura e Duda Molinos.

Desculpem por explicitar o óbvio, mas encaremos a verdade: a indústria cosmética no Brasil é insignificante. Medíocre, pra dizer o menos.

 

Aqui vale dizer que sempre fui uma grande incentivadora da iniciativa nacional. Sempre! E não culpo as empresas brasileiras por terem tantas falhas nos produtos. Em alguns casos, até poderíamos dizer que o esforço é pouco, mas penso que na maior parte das vezes faltam possibilidades reais de competir num mercado surreal como o brasileiro.

Surreal pelo seguinte: é um mercado incrivelmente rico. Vejam: enquanto em outros países, especialmente europeus e os Estados Unidos, as zilhares de marcas se degladiam por um pedacinho do mercado, pra fazer muito melhor pra conquistar alguns consumidores, aqui é o contrário: meia-dúzia de empresas – se tanto – vendendo pra centenas de milhões de mulheres que usam maquiagem. Pensem bem, é ridículo!

Aí a gente pensa: então por quê existe um mercado imenso, carente, sedento por qualidade (e às vezes quantidade mesmo!) que fica desprovido? Entre outras coisas, penso eu, por causa da carga tributária.

O Brasil, por algum motivo que me foge totalmente, insiste em tributar cosméticos norteado por uma total falta de lógica. Não consigo entender o motivo disso. Proteger a indústria nacional? Mais??!!?!! Fala sério! E como assim proteger, se a indústria nacional é tributada tão absurdamente quanto as importações desse setor?

Eu não consigo entender. Se alguém que estiver lendo isto conseguir compreender pode por favor me ajudar? Reconheço que talvez eu seja ingênua não conhecendo os motivos disso, e gostaria mesmo de conhecer. Porque da maneira que são as coisas, tributando insanamente as importações de cosméticos pra proteger e fortalecer o setor internamente, pra mim só faria sentido se a tributação para esses produtos produzidos no Brasil fosse muito menor do que é. [Ajuda necessária aqui pra entender isso.] 

 

Então, voltando. Até consigo compreender o motivo por que quando a gente encontra um produto nacional que presta, geralmente ele é caro em relação ao importado. E nesses casos eu realmente gosto de comprar os brasileiros. Sou uma patriota. Frustrada, raivosa, decepcionada, mas ainda crente.

Mas infelizmente eu me deparo quase sempre com a constatação com a qual eu comecei essa história toda: eu não gosto de maquiagem brasileira.

É fato que existem alguns poucos produtos legais, um aqui e outro ali, produzidos por uma ou outra empresa quase que por acaso, como um azarão mesmo. Um golpe de sorte, uma combinação bem sucedida de matérias primas, uma cor que casualmente caiu no gosto popular ou “deu certo”.

Será que só eu tenho a impressão de que esses poucos produtos brasileiros legais não são fruto de estudos de mercado e de tecnologia, e sim de sorte?  

Isso acontece pela falta de empresas competindo? Ora, vocês podem pensar: “Mas há muitas empresas brasileiras de cosméticos!” Eu penso que não. Relativo. Diante do tamanho do mercado brasileiro, a indústria de cosméticos no Brasil é um pum. Uma cabeça de alfinete. Um mosquito raquítico.

Um dia desses, essa semana ainda, prometo publicar uma pequena lista de produtos brasileiros que eu gosto e respeito. Claro que não experimentei todos, e nem pretendo, já que de cada vinte produtos que eu compro, dezenove e meio eu não gosto e fico p * da vida por ter jogado dinheiro fora.

E também não sou uma consumidora de maquiagem de grife. Queria eu! Porque… “Aaah, mas tem aquele pó da Contém 1g que é muito bom"!” É, tem, mas o que esse produto relativamente bom custa pra nosso bolso, proporcionalmente, equivale ao que custa pra uma mulher comum, em tantos outros países, a um produto de altíssima qualidade – ou mais!

 

Agora pronto. Podem me apedrejar nos comentários, eu sei que eu provavelmente mereço, mas é minha opinião. Prefiro gastar o dobro e comprar uma base YSL do que comprar uma maquiagem nacional que não vale um real. Sorry! 

 

Antes de terminar eu ainda queria dizer que, sinceramente, gostaria de nunca ter escrito nada dessas coisas. Gostaria que as coisas não fossem assim, mas são, e eu não gosto da idéia de fechar os olhos pra isso e fingir que os cosméticos nacionais merecem meu suado dinheirinho.

(Que venham as pedras. Podem mandar pau nos comentários, eu já estou preparada. rs Mas adianto: não vou transformar esse post num debate de idéias; cada um tem uma opinião diferente, essa é a minha, e não existe nada certo nem errado, só é uma questão de opinião.)

 

49 comentários:

Mishal Zohaib disse... [Responder comentário]

Tenho a mais absoluta certeza que vc disse TUDO o que muita gente pensa...Eu assino embaixo...

Nao entra na minha cabeca, como pode um pais com o potencial de consumo como o Brasil (principalmente nesse quesito - Leia-se os milhares de blogs de beleza e afins que pululam na internet com.br )ter uma industria taaaaao mediocre (com raras excecoes, como vc bem colocou)

Falta criatividade,falta qualidade, falta opcoes, falta tudo...

Enquanto-isso-na-sala-de-justica (lembra disso??? ahahaha outro termo arcaico, como o azarao que vc mencionou hihih) nos brasileiras temos que apelar para os importados se quisermos ter um pouco de dignidade cosmetica...

Parabens, excelente post!!!

Carina disse... [Responder comentário]

Eu gosto de vários produtos brasileiros, mas reconheço que parece haver uma apatia nesse ramo industrial. Com o potencial de consumo e tantas empresas fabricando maquiagem pra lá e pra cá, não entendo como a qualidade e produtos diferenciados não são prioridade.

Não lembro de ter visto nenhum produto desenvolvido especialmente para a mulher brasileira, levando em conta o clima tropical (vi um protetor solar, mas da L'oreal, o UV Perfect, que é o melhor que já usei, aliás).

Ninguém que eu conheço usa base porque não encontraram nenhuma que não seja pesada pra pele, que derreta ao longo do dia, por causa do clima quente.

Pra mim, todas os produtos deveriam vir com FPS, já que sol é o que não falta.

Mas acredito que essa falta de interesse pelo consumidor brasileiro pode acabar, principalmente com essa invasão de blogs de beleza. Já reparou como eles estão sendo cada vez mais reconhecidos pelas empresas? Quem sabe essa não é a saída: exigir qualidade e preocupação com o que a mulher brasileira espera e quer da maquiagem.

Espero que mude pra melhor.

luciane disse... [Responder comentário]

Infelizmente o que você disse é a mais pura verdade!
Além das marcas nacionais não produzirem opções condizentes com as características da pele brasileira (e olhe que moro no sul e não derreto ao sol) não existem opções de cores para nós. Isso é crítico nas bases e pós. Ora, se a marca é nacional, porque não contempla as cores da pele nacional? Mistério!
Ainda no aspecto "derreter ao sol", a maquiagem nacional não tem fixação e durabilidade. Você passa a sombra e 5 min depois ela sumiu!
E são tantas as outras críticas!
O fato é que prefiro pagar o triplo por uma base da MAC na minha cor exata, do que economizar e sair por aí com uma máscara no rosto.
Vamos abrir uma industria de cosméticos?
Lu

Anne disse... [Responder comentário]

Concordo com as meninas que comentaram antes, vc disse exatamente o que a gente pensa!
Eu tinha um óóódziummm completo de posts sobre produtos importados, mas depois de adquirir alguns e conferir que realmente a qualidade não se compara... as lojas virtuais de cosméticos importados nunca mais saíram da minha lista de favoritos.
O dia que Natura, Boticário e afins resolverem se equiparar, volto a pensar no caso...
Bjs!

Giovana disse... [Responder comentário]

Tenho que concordar com o que você disse! Poxa, tenho que admitir: doi pensar em gastar 55 reais num blush d'O Boticário quando, pelo mesmo preço posso comprar um da MAC com alguma das meninas que vendem pela net afora... E olha que eu gosto d'O Boticário!
Não me conformo mesmo com Contém 1g! Tem coisas muiiiiito caras, com preços não digo equivalentes, mas pouca coisa mais barata que de maquiagens importadas (e o que vc prefere? comprar alguma coisa mais ou menos por X, ou uma muito melhor por X+1?). E tenho que desabafar sobre outra queridinha, a Vult (e inclui aí Duda Molinos!), quanto tempo estamos esperando a linha nova?! Isso pq de novidades, só da DM mesmo, pq a Vult, só troca de embalagens!

(E antes que alguém levante a bandeira de "Não viajo pra poder ter maquiagens importadas, e elas aqui são muito caras", todas sabemos que tem muita gente que aceita encomendas, e com preços bem dignos! E meninas bem confiáveis!)

Bjao!!!

Pri Sganzerla disse... [Responder comentário]

Concordo também. E não acho que isso seja antipatriotismo ou "arrogância", como muita gente diz quando tento esboçar uma fala parecida com a sua... rs

As meninas aí em cima falaram sobre a incompetência das empresas para formularem produtos para as brasileiras: é fato. Além da não preocupação com fatores de proteção solar, a varidade de cores se reduz a "1,2 e 3" ou "claro, médio, escuro". Todo mundo sabe que com o perfil multiracial que temos isso chega a ser ridículo. E o pior: obriga as pessoas a comprarem 2 produtos para serem misturados para que a cor fique próxima ao tom adequado para a pele do consumidor. Haja dinheiro mal gasto!

Eu sou uma das fãs de batons MAC, por exemplo. Não por modismo ou status - porque isso não faz meu estilo. Mas por uma simples questão de adaptação ao produto e dos benefícios que a qualidade deles me trouxeram. Você acha que vou pagar R$27,90 num batom do Boticário ou U$14 em um da MAC quando eu ou outra pessoa próxima temos acesso a comprar lá fora?

Porque tem outra: eu só lamento, mas comprar da MAC aqui no Brasil só em caso de necessidade extrema. Porque as pessoas dizem que a questão é a tarifação brasileira, mas muito também é estrelismo de certas marcas, por saberem o status que possuem e que as pessoas acabam pagando. Então prefiro comprar em viagem ou das meninas da internet, simples assim.

Claro que com o que temos aqui no mercado nacional é possível sobreviver. O ponto não é a necessidade de ter maquiagem importada. Mas é exatamente o que vc diz: o mercado não é competitivo e a qualidade dos produtos nacionais não condiz com o valor que por eles é cobrado, se compararmos com a qualidade e o valor dos produtos do mercado externo.

Lá fora, as marcas não precisam ser de 1ª linha ou ter grife para manter a qualidade e a diversificação de produtos. E elas são acessíveis: em qualquer farmácia você encontra.

Aqui tem Boticário e Contém 1g. E o que mais? Nem sempre se acha Vult. E Avon e Natura eu ainda acho surreal que se comercialize apenas através de revendedoras ou através do site (pagando frete e encarecendo o produto).

Embora haja uma preocupação crescente das empresas nacionais em relação ao segmento, a verdade é que elas ainda não dão conta. A qualidade dos produtos é inferior (na maior parte das vezes) e os preços são ridículos, a exemplo da Contem 1g - que na minha opinião é uma MAC wannabe no que cobra, mas não no que oferece.

Parabéns pela coragem de dizer o que muitas de nós pensamos, mas nem sempre falamos por causa de uma visão deturpada do que é ser "politicamente correto".

Bjos!

Andrea Regina disse... [Responder comentário]

Belo desabafo!
O problema de alta tributação dos produtos importados não só de maquiagem, no caso de eletronicos, automoveis, a situação é infame também.
Bom como como o assunto aqui são makes, acho que o que conta também é que a mulher brasileira não tinha a cultura de se maquiar bem, pra muitas maquiagem se limitava a passar um pó e batom. Mas isso está mudando e bem rapido, graças em GRANDE parte ao trabalho dos blogs como o seu viu! O acesso maior a internet está fazendo com que muitos sejam apresentadas a esse "mundo novo", eu mesmo passei a me interessar e conhecer as grandes marcas pela internet.
Acho que a Mac nunca vendeu tanto no Brasil como hoje em dia, até a Sacks se rendeu. E a Sephora no Brasil? É quase um sonho realizado!
Isso é bom para as industrias nacionais acordarem, vai ser a vez delas correrem atras e produzirem produtos condizentes com a mulher brasileira.
Então não desistamos! E continue seu belo trabalho!
bjus...

dricolina disse... [Responder comentário]

Imagina, ser apedrejada... isso que vc disse eh o que todo mundo pensa, e nem so da industria de cosmeticos, mas enfim... o Brasil nao eh pra iniciantes, ja dizia o millor com toda razao. Aqui tudo tem um motivo que a gente desconhece, mas de origem pouco nobre. Mas estou fugindo do assunto. bom, eu tenho a possibilidade de viajar entao compro tudo fora, mas hoje com os sites de venda on line a comprar um produto importado a um bom preco nao eh mais privilegio de quem viaja. Eu sinceramente boicoto as maquiagens ruins, venham de que pais vierem, pois quem se entende com minha pele sou eu.
parabens pelo otimo post!

Ana Carla disse... [Responder comentário]

Vc tá coberta de razão, eu também não suporto maquiagem e produtinhos de beleza brasileiros, queria muito gostar, mas não dá... acho a qualidade ruim e o preço alto demais!! A que mais me impressiona é a Contem 1g, nunca tinha parado p/ prestar atenção nos preços da marca, até que um dia resolvi olhar a vitrine... o que eles tão pensando?? Como essa marca ainda vende?? Sinceramente, não consigo entender!

Milena disse... [Responder comentário]

Muito bom post, e muito bons comentários tb. Concordo.

Eu até acho que o imposto, UM DIA, teve o propósito de proteger a indústria nacional. Quando a gente estava se modernizando, ficava mesmo difícil começar.
Mas hoje? É só uma máquina de fazer dinheiro e gerar receita pro governo.
Afinal, como vc mesma disse, a indústria nacional também á achacada pelo governo, e além do mais competição é sabidamente uma das coisas que faz com que indústria se renove, evolua e diminua os preços.

Eu acho que a Avon tem bons produtos. Adoro as sombras da Vult. E gosto de alguns outros produtos azarões.
Mas realmente é difícil citar uma marca que tenha consistência de qualidade, mesmo se for ignorar o fator preço.
No Brasil, eu não vejo. Lá fora posso citar algumas, inclusive "populares".

E sim, a questão da cor me deixa estupefata. Canso de ver empresas nacionais com gama de cores indicadas pra européias.

O corretivo Capricho do Boticário, por exemplo. É um produto excelente. Excelente MESMO! Pelo preço, então, melhor ainda!!! Combinação super rara, em se tratando de Brasil. Palmas pra marca, não me canso de elogiar esse produto.
Mas cara, eu uso a cor mais escura. E sou uma média-desbotada. Como as amigas negras e mulatas fazem? São excluídas de novo? Sei lá, isso é difícil de entrar na minha cabeça.
A resposta do Boti é que a maquiagem é elaborada seguindo mais exigentes "padrões internacionais". Bom, então é prova de que não houve pesquisa, certo? O que houve foi o aproveitamento de um padrão pré-existente que não é o nosso. Simples assim.

Enfim, eu tb ficava P da vida quando via posts babando o ovo de produtos "high end" importados. Mas depois que vc vê que eles estão acessíveis e que a qualidade não se compara, não tem mais como não mudar de opinião.

Eu até acho que a coisa está melhorando. Vejo algumas empresas começando a melhorar em qualidade e aumentando a linha de produtos, sem aumentar muito o preço.
E vejo um maior investimento de algumas marcas estrangeiras no mercado, como Vichy, Revlon, Maybelline e L'Oreal. Ainda não trazem tudo (na verdade, nem 1/10), mas já estão bem mais presentes do que há algum tempo atrás.

Enquanto isso, a gente compra aqui o que merece, e lá fora o que vale a pena.

Geovana disse... [Responder comentário]

Concordo plenamente. O descaso com as consumidoras brasileiras e tanto que as marcas nacionais não reconhecem a diversidade de suas clientes e são capazes de produzir bases em apenas 3 ou 4 tonalidades!! Um absurdo afinal, o perfil das mulheres brasileiras e bem diversificado. O absurdo continua na falta de treinamento e atendimento pessimo nas lojas do ramos, as atendentes mal sabem o nome, as indicaçoes ou cores disponiveis dos produtos. Por isso que eu não vejo a hora de ativar minha conta paypal e encomendar produtinhos estrangeiros. Pois como você eu não consumo marcas grifadas mas quero qualidade.

Com isso eu tenho uma observação, tem muitos blogs e lojinhas virtuais que comercializam comésticos importados, mas em sua grande maioria MAC, UD essas coisas, eu queria ter acesso as opçoes mais baratinhas, como os NIX que mta gente comercializa. Indicações??

Milena disse... [Responder comentário]

Só corrigindo: a Avon é marca multinacional. Sempre penso em Natura/Avon como semelhantes, mas foi falha minha. ;)

Pri Sganzerla disse... [Responder comentário]

Verdade, Milena. A Avon é multi, tem razão. Tb tenho mania de colocar as duas no mesmo balaio. rs

Pena que como todas as outras, ela continua trazendo uma parte ínfima dos seus produtos para serem comercializados por aqui e sempre muuuuito depois de lançados lá fora. E há quem diga que a qualidade dos produtos e embalagens também seja diferente, mas isso eu não posso confirmar pq nunca consumi Avon lá fora...

De qualquer forma, o mercado brasileiro na área de maquiagem e cosméticos em geral está começando a ser mais valorizado. Quem sabe as coisas mudam...

Karina disse... [Responder comentário]

Falou tudo Re, eu no vou pagar 10 conto na linha mais barata do Boti sendo que eu posso comprar um produto com uma qualidade superios por 2,50 dolares(batons da NYX).
To fazendo meu curso de maquiador e a lista é imennnsaaaa, eu paguei 10 reais ( com o frete)em varias coisas da Maybelline da linha mineral ( nem foi lancado no Brasil ainda)...para tudo....ia comprar base da Vult por esse perco ( sorry Vult... mais claro médio e escuro nao sao cores faz favor)

Meu negocio é custo X beneficio, batom da Dailus eu compro com gosto pq tem cores realmente boas e eu curto o acabamento, mas contem 1G nem entra na minha necessaire pq posso comprar um produto importado de qualidade muito superior pelo mesmo preço.

Foera a AVON que tem uma linha completa do magix lá fora com duo cake e aki???nos contentamos com o primer.

O Brasil é o terceiro país que mais consome cosmeticos e só perde para os EUA e o Japao e cacete ade a qualidade e precos compativeis para brigar com as marcas internacionais???????

O cara que tiver uma marca com precos bons e qualidade boa fica rico nesse mercado tao abrangente que o Brasil tem.... se tivesse alguma marca assim com certeza compraria...é sentar e esperar...

Marcia disse... [Responder comentário]

Concordo em Genero, numero e grau, garota!!!!
Falou tudo, pagamos caro por produtos ruins ou de qualidade inferior, qdo qualquer segunda linha importado, é infinitamente superior em qualidade (lembrem dos rimeis Maybelline, que nos EUA vende até em posto de gasolina)!

Esther Mara disse... [Responder comentário]

E o mais triste de tudo isso é que nem dá pra gente lhe atirar pedras, visto que você está certa!"
Ainda hoje estava comentando com uma amiga sobre o custo das maquiagens aqui no Brasil se comparado ao preço no exterior (tendo por base a mesma qualidade, claro)...
Falou tudo, Renata!

lidia_barros9 disse... [Responder comentário]

Apoiadíssima.

Bianca disse... [Responder comentário]

Renata, você está super certa!!
Por que vou comprar um batom do Boticário, Natura, etc, que custa 30 reais se um batom da MAC custa 14 dolares (que equivale a menos de 30 reais)??
E isso pra vários/se não todos os produtos de make!!!!
É um absurdo os preços que pagamos nas makes aqui no país!!!! E aí vem o governo fingir que tributa pra proteger o mercado interno!!!!
Não sei que tipo de proteção é essa, mas digo que o mercado brasileiro tem muita sorte que nós que sabemos quanto custa uma make no exterior somos minoria, pois a situação é revoltante!!!!!

Beiojs

Carolina disse... [Responder comentário]

Só discordo da Milena na parte das cores serem voltadas pra européias... Acho ridículo as marcas terem somente 3 ou no máximo 5 opções de cores. É dificil de achar cores pras morenas e negras sim, mas pras branquelas também!!! Até descobrir (e poder comprar) maquiagem importada, realmente nao curtia base e até pó, porque TODOS me deixavam com cara de suja ou queimada, porque nunca eram do tom albino da minha pele :)

Carolina disse... [Responder comentário]

Ah, comprei aquele batom do boticario da linha secrets e durou UM dia, fiquei com tanta raiva que nem fui reclamar, já esperando o "otimo" atendimento. Ele simplesmente derreteu e quebrou, tentei colar mas não deu. Isso porque é feito pro Brasil, pra aguentar nossas temperaturas (sim, eu moro numa filial do inferno, de tão quente que é aqui!)

Carlinha Salgueiro disse... [Responder comentário]

Re, não tem o que metralhar, você só colocou com palavras o que muitas pensam.
A Milena "roubou a minha fala", eu ia justamente elogiar o corretivo Capricho, o problema são as cores, eu me dei bem com a cor mais escura, porém no verão paguei um mico enorme porque fiquei mascarada!
Mas assim, é como uma loteria encontrar produtos nacionais que nos satisfaçam ou tenham preço condizente com a realidade.
Fico possessa em pensar que o preço de um lápis da Natura é o mesmo que pago por um da Ardeco, um preto a prova d'água que é o melhor que já usei até hoje. E comprei por meios normais, em loja, com imposto embutido e tudo mais.
Portanto, "loteria" é o mais chato, qdo se trata de marcas brasileiras, porque se é bom e barato como o corretivo Capricho podemos chamar de sorte (!), pois são apenas alguns produtos com final feliz em um monte de testes que fazemos.
Na maioria das vezes é bom, mas custa muito caro, como outras linhas da mesma marca e da Contém 1g (se bem que nunca usei nada bom de lá até hoje).
Quis experimentar um blush da Tracta, o tal do Felice, e não tive coragem de dar os trinta e poucos reais que me cobraram!
E o que é bom e barato na maioria das vezes, como os rímeis da Avon, não são "totalmente" nacionais!
Resumindo: tem como ir contra o que você falou?

Paula disse... [Responder comentário]

Tão triste quanto afirmar que tudo que você disse é a mais pura verdade é sempre conhecer toda expressão que você diz ser "das antigas". Muito bom esse post! Beijo para vocês!

Carol Prince disse... [Responder comentário]

Prazer, somos gêmeas de opinião hahaha

Concordo 100% com você.

beijos!

Deni Maciel disse... [Responder comentário]

oi vi seu blog
num blog alheio
e vim conhecer.
adorei
mto inteligente
opiniativo.
agradavel.
*-*
virei seu fã
\o/

abraço e feliz dia da ameixa que parece uva passa mas tem gosto de damasco . . . e ainda colocam isso como recheio d bolo de aniversario =/

Claudinha disse... [Responder comentário]

Concordo com cada virgula, infelizmente o mercado nacional é um fiasco em termos de qualidade e preço.
E apoio o comentário da Carolina: as branquelas sofrem com a industria nacional. O tom mais claro sempre é muito bronzeado.
Só fui ter uma base p/ chamar de minha depois que comecei a comprar fora.
Beijos

Cris disse... [Responder comentário]

Oi, continuo lendo o blog, mas acabo não comentando porque estou sempre atrasada com a leitura e as coisas continuam complicadas aqui...
Estou morrendo de saudades!
Ah, perguntinha mala, vc já usou aqueles cremes da eyeko?
;***

Duda disse... [Responder comentário]

Re, assino embaixo.
Demorou pra indústria brasileira de cosméticos se tocar e aprimorar a qualidade pra justificar os preços. Trocar só a embalagem é chamar consumidor de trouxa!

Pra Geovana que perguntou de meninas que vendem NYX, tem a Silvia do Necessaire Cosméticos, ela é super confiável e vende a um preço bacana.

bjos

Renata disse... [Responder comentário]

Nossa! Muitos comentários rs

Sobre o que a Carina disse, sei lá, viu? Pensa na quantidade de gente nesse país que compra maquiagem e na quantidade de blogs brasileiros e de pessoas que compram fora... É muito pouco. Pra que mexer em time que tá ganhando? Quanto a "exigir", a gente tem que exigir das empresas de telecomunicações, por ex, que não têm concorrência (é tudo mentira que são concorrentes); de maquiagem a gente faz muito melhor e mais fácil: compra de outros. ;)

Vi que algumas estranharam eu ter esperado pedras, mas é por causa do que a Pri falou. Eu tambem já li manifestações no sentido inverso, de que é arrogância e frescura e etc.

Sobre as críticas às cores, é verdade o que as amigas brancas disseram: é tudo bege! rs Agora até que melhorou um pouco, mas pó, por exemplo, é típico: tudo deixa a gente bege, laranja ou com a cara cheia de gesso. Ou, quando não, custa o preço de um pó da Givenchy.

Andréa, Dricolina, Milena, obrigada, viu? Mas só uma correçãozinha no comentário da Andréa: não é um trabalho. Se fosse, a gente estaria fazendo meio porcamente, porque postamos pouco! haha

Duda, obrigada pela dica!

Bom, no geral eu não sou tão otimista quanto vocês. Sim, tem melhorado a passo de tartaruga, e penso que pra quem está fabricando e vendendo, tá bom. Deve estar, porque não melhoram, né? rs OU não melhoram tanto quanto poderiam. Acho que vai demorar muito! Mas pelo menos a gente já pode comprar fora, o que é um alívio, e a internet permite acesso a muita informação agora, do mundo todo. Ótimo, até pra empresas menores, que conseguem atingir uma quantidade de consumidores que uns anos atrás seria impossível.

Bendita seja a globalização! :D

Ah, Cris, tenho aquele rosinha. Demorei pra me acertar com ele, mas vou postar. Recentemente tenho usado mais e gostado.

beijocas, mulherada!

Renata disse... [Responder comentário]

Ah, Luciane, vc mencionou uma coisa muito importante: durabilidade. Realmente, nesse quesito eu estou pra ver alguma coisa que preste por aqui. Nossa!...

E sim, vamos abrir uma indústria de cosméticos! Bom, a gente tem o conhecimento necessário sobre o produto final desejado. Se vc tem o capital e o know how pra gente viabilizar o resto, me manda um email! XD XD

Beijos!

Juliane disse... [Responder comentário]

Realmente é bem difícil.

Os impostos são altos porque creio que maquiagem seja considerado superfluo, uma coisa mais luxuosa, se for conisderar a populacao bruta. Grande parte da populacao não usa maquiagem, não usa protetor solar, não usa nada pra pele. Outro ponto é que pra quem não conhece o que tá comprando o preço acaba "determinando a qualidade" do produto, a pessoa geralmente prefere acreditar que o mais caro é o melhor. O boticário ganha muito nisso, por exemplo. Se eu falar pra minha mãe que tem coisa no boticário que nao é boa ela não vai acreditar, porque é caro e todo mundo compra lá e acha que aquilo é o melhor mesmo sem conhecer outras alternativas. Maquiagem em embalagem tosca é coisa de adolescente falido, dá vergonha.

Já as maquiagens importadas tem o imposto alto pelo protecionismo, tentando aumentar o consumo interno, coisa que pelo ponto 1, nao dá muito certo, já que algumas coisas tem o mesmo preço apesar dos impostos.

E grande parte do consumo aqui é de uma base, um pó, um lápis... tudo muito basico o que faz que as empresas nao ousem muito, por medo de produtos encalhados...

Eu acho que o grande problema no brasil é que maquiagem é um medidor de status, apesar de não fazer nenhum sentido... é mais ou menos homem de terno... e a qualidade acaba não importando tanto quanto deveria.


Ficou meio confuso, mas acho que dá pra entender alguma coisa haha

Fer Freitas disse... [Responder comentário]

tambem concordo com voce Re..e, como formuladora de P&D em cosmeticos e ja ttrabalhado na Farmaervas que faz a Tracta,e outra industria de cosmeticos, posso dizer que: o MKT se inspira muito em produtos legais, difernetes, importados, eles querem lançar isso e td mais...porém, falta tecnologia nas fabricas, materias primas que tem la fora e nao vem pra ca, embalagem é o item mais caro do produto (um shampoo de 3 reais o frasco de 200 ml, no granel, custa mtas vezes 0,60 o quilo, e ai poe embalagem, imposto e td mais, que vc chega nos 3 reais por 200 ml). Fora que o tempo pra desenvolver e lancar quase sempre é curto, querem td pra ontem...e o custo sempre minimo! portanto, acho ainda dificil caminhar nessa questao! bjs

Fer Freitas disse... [Responder comentário]

Ah, mais uma observacao...vc pegar um shampoo dove, que é bom, digamos...eles tem la um silicone que a empresa desenvolve pra eles exclusivo e com o volume de compra astronomico, eles vende um shampoo bom, a um custo bom...vai aFer aqui formular com o que tem disponivel, nao tem bala na agulha pra fazer um silicone exclusivo...aí eu pego outras coisas, misturo, chego no dove, igualzinho...mas ai o meu na perfumaria tem que custar umas 3x mais que o dove, pra compensar pra eu vender...ou seja...eu nao vendo!! entao, eu nao consigo fazer, vamos fazer um mais baratinho e vender, melhor do que nada...percebe a dificuldade? bjs

Makeup by LiSa disse... [Responder comentário]

Olá,adorei o blog. eu gostaria que vc visitasse o meu blog, é sobre tudo que nós mulheres amamos!!! Ah e tem tres sorteios acontecendo lá... www.makebylisa.blogspot.com
Bjos

ligadona disse... [Responder comentário]

Acho que a minha opinião seria bem parecida com a sua se eu já tivesse experimentado alguma maquiagem de fora. Invejo os cartazes da MAC e da Nyx...Algumas maquiagens brasileiras satisfazem meu gosto mas não é algo divino, entende?
=1

Nai Romero disse... [Responder comentário]

Excelente post! Ponto.

Hi Girl disse... [Responder comentário]
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Tatinha disse... [Responder comentário]

Esse post, acho que pega a ponta de um iceberg....
Tributos, creio que além da corrupção, que está atrelada a isso, esse é um dos maiores impedimentos ao crescimento do país.... e é por essas que esse "jeitinho brasileiro" é tão presente na população.
Será que eu sou tão burra, ou coisa e tal, mas será que se a carga tributária brasileira fosse mais baixa, as pessoas se sujariam por tão pouco sonegando???
Vamos pegar exemplos bobos, um deficiente físico, produtor rural e mais alguns "escolidos" tem o direito de comprar carros a um custo 40% mais baixo, isso é incrível, mas por quê nós pagamos tão caro?
Algumas doenças graves também (hanseníase, cardiopatia grave, entre outras) tem insenção vitalícia do pagamento de imposto de renda, um caso não divulgado, e que não é retroativo quando você faz o requerimento.
Acho que tudo isso impede a abertura do Brasil para o mundo, a burocracia, os impostos, tudo emperra... podemos ver em sites pelo mundo, não tenho dados exatos, é pelo que pesquiso mesmo, mas em qualquer lugar temos variações de custos, mas nada é tão exorbitante quanto aqui! Exemplos, NYX aqui, um simples corretivo é em torno de R$ 70,00, enquanto fora $5,00, é o cúmulo!!!! Quem ganha isso tudo, não é só o governo, mas também uns poucos que tem o dinheiro para investir e elitizam uma marca. É o cúmulo uma marca como a Contém 1g cobrar as atrocidades que cobram nos produtos, eles elitizaram muito a marca, e não é tudo isso não!
Sei que isso não tem nada a ver com o post, com maquiagens que amo, mas isso é um protesto de uma brasileira que tenta da melhor forma trabalhar e não ter que dar quatro meses do seu suado trabalho em impostos diretos. Com esse dinheiro gostaria de investir em coisas mais importantes do que servir a “farra” de alguns!

Renata disse... [Responder comentário]

Fer, entendo tudo isso, sim, até falei da coragem dos pequenos de boa vontade, porque competir com empresa grande é duro, to sabendo, por tudo que vc falou e mais um bocado de coisas. Repare que eu não escrevi acusando ninguém, não fico brava com as empresas por praticarem esse preço. Foi mais uma constatação, mesmo. Vc tem razão. ;)

Ligadona, é por isso que eu escrevi: você pode experimentar e ainda gastando menos. É mole? É só ter uma continha no paypal ou melhor ainda, um cartão internacional. E vai pra farra! :D

bjs

crueltyfreemakeup disse... [Responder comentário]

concordo total, o preço da maquiagem nacional é redículo, eu só comecei a usar maquiagem quando descobri os gringos, que além de melhores são mais baratos! Também acho que tem o lance que mulher no brasil não usa mta maquiagem, hj fiz uma aula de maquiagem com mães de alunos meus e pouquissimas usavam maquiagem diariamente, tem aquela ideia que base é coisa pra festa, coisa assim. Provavelmente pq a a experiencia que tiveram qdo usaram makeup foi deprimente!

Dáfni disse... [Responder comentário]

Nem preciso dizer mais nada, todas falaram antes de mim. Mas vou deixar um "causo" aqui, pra retratar exatamente isso.

Uma amiga minha queria comprar um primer de presente pra uma amiga dela, e foi até Rivera (cidade do Uruguai que faz fronteira com Santana do Livramento/RS e que por isso há vários free shops lá) pra ver se achava, pois a amiga tinha feito o curso da Contém 1g (que eu detesto) e lá conheceu o primer da marca que custa R$90,00. Certamente que ela não quis comprar antes de ver se tinha um mais barato, e a minha amiga disse que ia ver em Rivera se encontrava um primer.

Só que a minha amiga não conhece muito maquiagem (ela quase não usa) e encontrou lá um da Chanel que custava US$30,00!!! Comprou, mas depois veio me perguntar se era bom, se eu conhecia... Mas vejam o disparate disso! O da Chanel, no free shop, custava muito mais barato que o da Contém 1g (hein?)...

Revoltante, não?

Beijos

Renata disse... [Responder comentário]

Pois é, Dáfni, só esse causo já diz tudo, e nem precisaria complementar. Mas faço questão de colocar um PEQUENO adendo: eu tenho esse primer da contem 1g e é a coisa mais imprestável que eu já comprei na vida. Um horror! Não só não é bom; é ruim pra valer!

Se preferir comprar Chanel por 30 dolares do que comprar porcaria por 90 reais é ser fresca, eu quero ser a pessoa mais fresca do mundo, e todo mundo que comentou aqui também!

bjs!

Luxuosidades disse... [Responder comentário]

Concordo com vc....uns dizem que tem que valorizar o mercado nacional. Eu penso: tem que valorizar o que é bom! No fim quem trabalha e rala para ter meu dinheiro sou eu, então vou investir no que for melhor para mim. E o melhor às vezes é investir um montante maior, buscar recursos para trazer o produto de fora o mais barato ou menos caro possivel e ser feliz com algo que não é só nome, só marca: é realmente excelente.

ótimo post!

bjs

Helena Porto disse... [Responder comentário]

Concordo com seu posicionamento. Viajamos na net e até pensamos que estamos todos no mesmo lugar. É a ilusão da globalização...No início do ano fui à Miami e Orlando de férias com a família, quando aproveitei para repor meu estoque de cosméticos e perfumes, buscando pelas novidades na Sephora, MAC...A diferença é superior a 100%o que é um absurdo! As promoções lá são verdadeiras, enquanto na sacks só reduz o preço do que está encalhado, ou seja, não presta. E o apetite do leão é tão voraz, para comprinhas inofensivas nos sites internacionais, quase sempre taxadas ao belprazer do Auditor...Porque não saem dos seus gabinetes e vão caçar os sonegadores.Ficam sempre no previsível, cobrando de quem declara! Gostaria de dizer que melhorou nos últimos anos, mas, lamentavelmente, piorou e muuuito!

Helena Porto disse... [Responder comentário]

Gostaria de relatar um fato que ocorreu comigo na Contém 1 g. Não tenho nada da marca, exceto um primer para sombras em bastão que me deu alergia... e olha que isso nunca me aconteceu na vida! Vi na net o corretivo colorido e fui lá comprar. O post informava o preço de R$ 28,00, foi publicado no final do ano passado. Chegando na loja, a vendedora, convicta que trabalha na concorrente da MAC ( Vocês sabem, te examinam para saber como será o tipo do atendimento...), me deu uma explicação bem simplória e informou o preço...R$ 45,00. Olha que eu estava disposta a dar os R$ 28,00 que já era uma extorsão. Resultado saí da loja e fui pra net comprar o da nix por U$ 5,00.

Renata disse... [Responder comentário]

Helena, bem lembrado: PROMOÇÕES VERDADEIRAS. Me irrita esse negócio de fazer estardalhaço por promoção que é um desconto miserável se vc comprar mais de 400 reais em produtos ruins. Blé!

E quer saber? Eu acho que vc fez melhor negócio não comprando mesmo o da Contém. E por 45 reais vc compra um da Lancome! Rá! Não é muito difícil escolher rs

bjs!

Mel T disse... [Responder comentário]

Não são somente as makes que são altamente tributadas. No Brasil tudo é exorbitantemente tributado e não dificilmente mais de uma vez.
Nos Estados Unidos o imposto é pago na hora da compra, então vc não precisa rodar todos os shopping da cidade para comprar um produto pois sabe que não importa se for na Sephora, Mac, Bloomingdales, Macy, Saks Fifty Avenue a make vai ter o mesmo preço.
Acho tb que a maioria dos brasileiros é meio acomodada, não batem o pé por produtos de qualidade. Muitas mulheres preferem embalagem bonita à um produto bom.
Sou super a favor da indústria brasileira, mas desde que ela seja merecedora.
Pronto falei. :)

Acesso makeup disse... [Responder comentário]

Eu não tenho nada o que dizer além de: de novo vc leu os meus pensamentos!
É exatamente isso o que eu penso.
PArece até que to exagerando mas é o quarto post que voce faz que parece que saiu de mim.
Fora os outros tb q concordo muito.
Não só de mim né, mas pelos outros comentarios, de outras pessoas tb.
O___O Impressionante... rsrs

Ana Paula disse... [Responder comentário]

Aaaahhh, sinceridade total e eu assino embaixo!
Já testei zilhões de bases e corretivos brasileiros e tudo ficava uó de ruim, cara de reboco, olheiras roxo-bege e eu ficava me sentindo horrorosa e sem solução...

Aí comprei uma base e um corretivo da L'Oreal pra arriscar, pq o preço é pagável (mais barato q Natura e Boticário - BotiCARO), em geral... resultado: pele de veludo e eu me sentindo linda e sem olheira pela primeira vez na vida...

Eu, no freeshop insandecida descobrindo q tanto o rímel qto o lápis de olhos da Lâncome custam 20 dólares! Não compra nem o lápis da Natura (q eu esfrego no olho até sangrar, não tem cor, não fixa e pra tirar tem q esfregar com sabão até sangrar de novo... exatamente o contrário do lápis da Lâncome).

Ah, e as sombras e o rímel da Revlon... outro mundo, sombras super naturais, mesmo qdo as cores são fortes. Brilho acetinado lindo. Rímel maravilhoso, passa fácil, não forma grumos e sai fácil...
E custa menos q BotiCARO, q é uma M**** pelo preço q cobra...

Convenhamos!

Gaspinha disse... [Responder comentário]

Re

Concordo plenamente...
Gente, pq não admitir que fora daqui a variedade é imensa? E que os caras são bons? pq limitar o que vem pra cá?
Tb não sei, mas fiquei satisfeita em ler este post e verificar que mais meninas pensam como eu penso.

A propósito, tem alguém que postou sobre NYX. Amiga, avisa as meninas que quando eu for viajar trago mais coisinhas da NYX, que são mais acessíveis....

Parabéns pelo post, Re, vc é minha "ídola".

Bjks

Related Posts with Thumbnails